terça-feira, março 27, 2007

Alfa Pendular. Amores-perfeitos

20 anos de estarmos juntos
esta tarde se hão cumprido
para ti flores , perfumes
para mim, alguns livros
(...)
quis compor, para ti, uma canção
para cantar devagarinho
como o sono de meninos
e, e já vês, apenas palavras
sobre notas me hão saído
que tal e qual tu e eu
nem se importam, nem se estorvam
suportam-se amistosas
mas não são uma canção
Que gelada está esta casa!
(...)

Patxi Andion (adapt.)





Foi assim, noites dentro: o som roufenho do antigo gira-discos debitava langores bem mais profundos que o sono dos amantes. Langores oceânicos, como diria Brell.

Já desisti de amores perfeitos, à excepção das flores de mesmo nome que só não curam os males que lhe estão na designação - os de amor.
Os atenienses usavam uma infusão de amores-perfeitos como calmante e eu, crente em mezinhas, usei-os por breve momento como extensão de mim própria no parapeito da janela do teu quarto. Talvez para que te aplacassem a incerteza de estares vivo, a urgente necessidade de constatares a existência do teu corpo no corpo dos outros. Fui eu que tas ofereci. Lembras-te? Não, já não te lembras que fui eu que te ofereci os amores-perfeitos.
Quando passo na tua rua suspendo o olhar por sobre os pináculos oitocentistas que arrematam a fachada apalaçada do n.º 42. Tenho ânsias de deixar ir o olhar mais além. Sei que basta desfocar o olhar desse plano para entrever ao fundo a janela do teu quarto. A janela onde deixei uma extensão de mim, o quarto onde trocámos prendas, o quarto onde me desembrulhei premente, mesmo sabendo quão éramos imperfeitos.
Para mim um livro, envergonhado. Notei na tua exagerada explicação o débito da oferta. Ou talvez fosse o título que te desconfortasse. Que ironia da tua parte ofereceres-me “Memórias das Minhas Putas Tristes”! Está bem, tens o benefício da dúvida. Fui eu que te fiz a apologia do Gabriel Garcia Márquez e ainda me sinto suficientemente menina para te agradar disfarçada de virgem. Não percebeste o sarcasmo nem podias perceber, pois, ao contrário de ti, eu já tinha lido o livro - antes me amasses em vigília, tudo não passaria de um sonho bom - pensei.
Há muito que a janela do teu quarto não se abre. O nosso amor já não mora ali. Com alguma imaginação entrevejo por detrás da vidraça uma adolescente virgem com flores a despontar do farto penteado. Ia jurar que eram amores-perfeitos, mas não, são saudades. São só saudades.

O gira-discos calou langores. Amanhecia. Ela desabraçou-se dele. Abriu a janela do quarto de par em par e apoiou-se no parapeito. Os amores-perfeitos na sua perfeição pareciam escarnecer dos amantes. Apeteceu-lhe amarfanhá-los. Uma sensação glacial percorreu-lhe todo o corpo. Fechou repentinamente a janela e correu para o conforto da cama. Que gelada está esta casa.

14 comentários:

Cingab disse...

lol

Achadiça disse...

Patxi Andion, Brell, Garcia Márquéz... isto está a ficar muito cultural e datado... já ninguém te dá menos que uns cinquenta anitos. lol. Gostei Cris, continua... não estás nada piegas.

Ó Cingab, acho que esta bicada não era para rir... mas olhe, é uma boa atitude. Assim como assim não há amores perfeitos, por isso não valem a pena tristezas.
Boas bicadas

Achadiça disse...

Cris vou tentar pôr a música do 20º aniversário do Patxi no blog para a malta mais nova q n conhece apreciar. Espero que te agrade a ideia.

Achadiça disse...

Ó pessoal engenheiro porque é que o raio da maquineta da música nunca funciona comigo??? Fiz tudo o que o Farpas recomenda lá no seu generoso manual mas nada...
Nix
Vocês ouvem alguma coisa?

Achadiça disse...

Bem lá arranjei outro chincavelho. Embora não goste deste dá para ouvir a música. É só clicar nele e depois clicar em "abrir" na caixa de opções que aparece. Para quem não conhece vale a pena ouvir a música e, especialmente, a letra. Coisas de velhos :)

Tomahock disse...

Aqui funcionam ambos!

Achadiça disse...

Deve ser da minha ligação à NET. Quando abro diz-me que àquela velocidade faltam 40 minutos para completar o download. É de doidos. E no chincavelho da barra lateral começa aos soluços e nada.
Bem, se vocês ouvem digam lá se o 20º Aniversárioo do Patxi não é demais...
Boas bicadas

Beco Escuro disse...

Sim, o 20º Aniversário do Patxi é muito bom, mas o que é bom mesmo são os textos com que vocês nos brindam de quando em vez.

Cumprimentos

Beco Escuro

rosalinda disse...

Cristalinda
Que belo momento. Tens o condão de escreveres de forma encantadora e emocionante. Os teus textos pedem sempre uma segunda leitura. São tão ricos que por vezes, naquela primeira leitura mais imediata nem me apercebo da beleza arquitectónica da frase. Depois o todo! Dá-nos aquela sensação de extase que só os bons escritores conseguem transmitir. Excelente.

Beijos

miau disse...

Lindo, é a unica palvra que posso escrever...

Cristalinda disse...

Fico muito contente com os vossos comentários. Incitam-me a escrever... boas minhocas.

Cingab disse...

Qual é a diferença entre incitam-me e excitam-me???

Anónimo disse...

Gratos

JouElam+SophiE disse...

Perdoe a reentrada . Faltava o nick.
Abraços