domingo, janeiro 14, 2007

Balanço 2006

O Movimento Reivindicativo do Mulherio de Canas de Senhorim (MRMCS), braço político deste berloque, vem, através da sua presidente, agradecer o apoio e o estímulo que galos e galinhas concederam às suas iniciativas no pretérito ano de 2006.
O ano transacto foi razoável na produção de milho, não só pelas excelentes condições climatéricas que se fizeram sentir, mas também pela dedicação que alguns galos e frangos emprestaram à manutenção dos lameiros onde este se desenvolve. Embora a produção ainda não satisfaça totalmente o apetite voraz da espécie, estudos científicos levados a cabo pelo Dr. PortugaSuave no seu boletim trimestral, referem uma subida considerável no índice de satisfação púbica. O Mulherio cifrou-se na excelente marca de 1000 galadelas mensais.
Atendendo à quantidade das galinhas e frangas sexualmente activas residentes no Quintal, que ronda cerca de um milhar, será fácil concluir que cada uma teve direito a uma galadela mensal. Bem, isto são deduções estatísticas que, como sabem, podem não corresponder exactamente à contabilidade pessoal de cada galinha. A mim e à vizinha calhou-nos um frango jeitoso, um frango robusto, carpinteiro de profissão. Até espetava pregos com o bico. Enfim, uma delícia. A estatística dirá que nos tocou meio frango a cada uma. Mentira, pois a desavergonhada atracou-se ao pitéu, devorou-o por inteiro e, perante o desaforo, de nada me serviram reclamações estatísticas.
De qualquer maneira ficamos com uma ideia geral da tendência. Claro que haverá quem diga que uma galadela por mês não arrefenta nem a libido mais insensível, mas, se dermos crédito às previsões anunciadas pelo presidente do Aviário Central, que apontam para um crescimento em alta do desempenho dos machos, tudo indica que lá para 2020 a nossa insatisfação seja definitivamente ultrapassada.
Dir-me-ão algumas companheiras mais entradotas, como eu já ouvi, que em 2020 de nada lhes servirá tal performance e que o melhor seria mudar rapidamente de malas e bagagem para o Galinheiro Canas & Senhorins. Por lá seriam contempladas com quatro galadelas por mês, uma por semana. Um primor. Respondi-lhes que se quisessem ir que fossem, mas sempre as fui avisando dos dissabores que tal iniciativa lhes podia trazer. Quantidade não é sinónimo de qualidade.Uma boa galadela quer-se tântrica, centrada na galinha que deve ficar por cima, no devido respeito pela filosofia hindu, na qual, a galinha representa a deusa Shaktí. Aos machos cabe o dever de interpretar os rituais de adoração através dos chamados preliminares, como olhar, beijar, tocar, acariciar, abraçar, massajar e galar pausadamente, circunstâncias que estes tendem a menosprezar, mesmo conscientes da eficácia do método na satisfação das galinhas e na reprodução da espécie. Que o digam os indianos. Porventura as meninas acham que os galarós lá do Canas & Senhorins se prestariam a abdicar do poleiro por razões de culto orgástico!?
Concordaram. Sensíveis à minha apreensão não vão. No entanto não deixaram de me alertar para que o Mulherio reflectisse sobre o parco quinhão mensal que lhes tem cabido e na urgência de obter melhores resultados na distribuição da ração. Prometi-lhes que o Carnaval se aproximava e com ele uma esperança renovada. Por essa altura há sempre uns pitos que saem da casca. Que aproveitassem para exercer algum exercício genital e, já agora, que fossem pedagógicas e discretas nas manobras de aproximação. Para vergonha já bastavam os desesperos do ano passado.
Resta-me endereçar os votos de um ano de 2007 empreendedor a todos os galinheiros do Quintal e recomendar aos machos residentes uma vida saudável, sem vícios. Bebidas alcoólicas, drogas, tabaco e carne não devem fazer parte dos hábitos alimentares. De preferência, fruta, cereais, legumes, água e milho. Muito milho. A par disto devem praticar técnicas de relaxamento e saber controlar a respiração e a ejaculação, exercícios imprescindíveis para um eficaz desempenho galatório. Uma boa relação é aquela que dura no tempo. Boas bicadas para todos.
A presidente Achadiça
Boas bicadas

6 comentários:

PortugaSuave disse...

Dr. da mula russa!! Mas que dá para apurar as bicadelas lá isso dá. E quanto a isso as "meninas" não se podem queixar. Fizeram muito mal as contas. Eu diria mil a cada uma, por mês,já que são só três. Ora isso dá mais ou menos 3 por dia. De que é que se queixam? Isto mais parece um antibiótico... três vezes ao dia, neste caso, preferivelmente antes das refeições :)
Mal agradecidas... :)
Cumprimentos

PS:

beijokense disse...

Em Beijós ainda estamos nos preliminares, todos somos contemplados com muitos BEIJOS por dia.
Fiquei intrigado... como será beijar uma galinha?

Pedro Lima disse...

Talvez os galarós do Canas & Senhorins sejam galos refinados...opino eu do alto do meu poleiro

Cristalinda disse...

Bravo, achadiça!
finalmente uma abordagem científica da coisa.

Amigo portuga suave,
Não seja tão másculo e, em vez de se concentrar na estatística das contas, concentre-se na pertinência das observações tântricas. saudações

PortugaSuave disse...

Másculo eu!!!!
Desculpe lá Cristalinda mas essas "extântracidades" são muita areia para a minha pobre carripana.
Porém, convenhamos que um bom mestre pode fazer o génio. Portanto, vergo-me aos seus ensinamentos se lhe aprouver ensinar este humilde discípulo.
Cumprim.

Achadiça disse...

Portuga
Vá praticando na solitária que também é boa conselheira. :)

Beijokense

E diga lá se as galinhas da aldeia mais digital de Portugal não andam satisfeitas. Convém é passar a vias de facto, pois até os preliminares têm o seu "timming".
Beijar uma galinha? Tem que ser um beijo repenicado, como diria a Riça.
Beij(ó)s

Pedro

Refinados quer dizer, grosso modo, duas vezes finos. Há quem diga que o que importa é o desempenho e não o tamanho, mas eu, cá por via das dúvidas prefiro pesos médios... e esforçados :)
Boas bicadas Pedro e bem vindo ao Mulherio